domingo, 17 de janeiro de 2010

Ah o mundo, ai os outros!!!

Você já reparou em como a idade muda a pessoa? Gente, grande parte da personalidade e da forma como o mundo te enxerga é decidida pela idade. Em uma discussão extremamente filosófica durante um intervalo comercial ( aproximadamente uns 10 minutos), eu e um amigo constatamos essa triste realidade. Duvida? Ok, vamos então aos fatos!
Quando você tem 17 ou 18 anos existe a certeza de que se fizer tudo certo, o que planejou vai acontecer. Se você estudar, trabalhar e ganhar o seu dinheiro, logo vai ser independente e a vida dos seriados vai ser a sua realidade. Mas o pior não é isso, o problema é que as pessoas a sua volta acreditam nessa ilusão. Familiares e amigos sempre vão acreditar em você, mesmo que saibam que a realidade é cruel.
Se você está nessa fase não desanime, ela é ótima e necessária, acredite!!
Próxima fase? Tentativas!!
Aos 22, 23 anos o tempo de sonhar já passou e as conquistas onde estão? Nesse momento, a cobrança é interna. Para superar o peso na consciência, advindo da percepção da realidade, uma tática muito usada é planejar. Nessa hora, minha amiga, tudo é válido. Planos de que o que você está passando é uma fase, que isso é uma experiência necessária para que um pouco mais a frente, o sucesso seja conquistado. E o pior você tem a certeza absoluta que é só se dedicar um pouco mais que vai dar certo.
E os outros, como te vêem nessa história? Ah, os outros....
Bom, nesse período ainda acreditam em você, mas o medo das suas tentativas serem frustadas e você perder suas poucas conquistas já começam a surgir. É nessa fase que muitos se frustram ao falar de suas idéias, principalmente para pessoas mais velhas. Apesar da idade, minha amiga, o medo e as incertezas continuam lá.
O lado bom dessa fase? Todas as conquistas, por menores que sejam, tem um gostinho muito especial de esperança.
Minha amiga leitora, a partir desse momento uso da experiência alheia para orientá-la. Você sabia que certos diretores só aceitam atores que passaram por situações dramáticas? Eles não descobriram o quanto é possível aprender com as experiências de outros. Uso desse recurso para orientá-la.
Lembra do meu amigo que começou toda a discussão durante o intervalo? Então, ele está no que eu chamo de terceira e decisiva fase.
Aos 30 anos, o sonho de muita gente, e me incluo nessas pessoas, é ter conquistado estabilidade. Mas e quando isso ainda não aconteceu? Nesse caso minha querida amiga, a cobrança deixa de ser interna. E a esperança dos outros em você deixa de ser um incentivo. Cobranças externas sobre família, emprego e casa própria, começam a ser martelados na cabeça dos trintões. Há quem consiga transformar a cobrança em um degrau, mas a grande maioria não lida tão bem com isso.
Peço agora licença para pular alguns anos... e aterrissar nos cinquentinha! Você que está na primeira ou segunda etapa tem falado de planos futuros com pessoas dessa fase? Se ainda não teve essa idéia, cuidado ao colocá-la em prática. Ao passar pela fase da cobrança muitos traumas são guardados. A cada vez que eles pensam em algo novo, os riscos e o medo da volta das incertezas e cobranças serve como um freio.
A vantagem dessa fase? A experiência.
Um dos maiores dilemas dos administradores hoje é decidir o que priorizar: Se a vontade de mudar o mundo, ou a experiência de quem já viveu neste mesmo mundo.
Agora, minha amiga, você que teve a paciência de ler até aqui esperando uma resposta, sobre qual fase é a melhor, ou como superar cada uma com tranqüilidade, sinto ter de desapontá-la.
Como disse acima, ainda estou na segunda fase. Não pretendo mais mudar o mundo, mas ainda quero conquistar um pedacinho dele para mim!! E você?

5 comentários:

  1. Um pouco da vontade de mudar o mundo passa mesmo, a gente não flutua tanto, uma pena.

    ResponderExcluir
  2. Anaaa! Mas pensa bem: se a pessoa chegou aos 30 e a vida ainda não se encaminhou, a probabilidade de conseguir alguma coisa boa é realmente pequena... E a vontade de mudar o mundo, pra mim, praticamente não existe mais... mas, ainda...

    ResponderExcluir
  3. Anaa... eu estou com 23 e não acredito mais que a dedicação leva a algum lugar, hehe...Já dediquei tudo e agora resolvi jogar nas mãos da sorte! É o jeito, hehe... Vamos ver como fica aos 50!

    Bjoo

    ResponderExcluir