quarta-feira, 17 de março de 2010

Passe a mão, ela é bem loura

video

O Conselho de Autorregulamentação Publicitária (Conar) censurou, há duas semanas, a campanha publicitária feita pela Cervejaria Schincariol para divulgar seu novo produto, a cerveja Devassa Bem Loura.
Paris Hilton foi considerada sexy demais, segundo os principais veículos de comunicação do País, até para os padrões brasileiros (não muito rígidos, sejamos sinceros) de regulamentação publicitária. Que ela é uma vadia, pouca gente, aposto, vai discordar, mas não tiro seu mérito. Se alguém inventou o pau da barraca, foi para que um dia Paris pudesse chutar e aí é que está a graça da patricinha americana: ser mais estúpida do que se supôs ser possível. O título é dela e ninguém tasca. Mas o que Paris trouxe para o Brasil, prontamente censurado, foi a atitude devassa que todo mundo sabe que ela tem, mas que não se permite por aqui. Não mesmo?

Mulheres, caras e bocas, roupas (pouca roupas) provocativas e eis as principais elementos de grande parte dos comerciais de cerveja brasileiros. A Skol saiu do roteiro e as outras começam a seguir a mesma linha, mas isso é fato (no bar não tem foto de seis amigos fantasiados de latinhas no carnaval, tem?) Quanto à mocinha... Ela não precisava ser tão mulher-objeto, não é? Ela tem berço, dinheiro e, supõe-se, instrução. Mas, e quanto à proibição? A campanha é sexista, sim senhor, tanto quanto a postura de Paris é sexy. Ah, meu bem. Isso ofende as mulheres brasileiras, que são representadas por mulatas rebolantes semi nuas, tão igualmente sem cérebro quanto à americana censurada.

Neste ponto discordo do Dimenstein, que dispensa apresentações, mas considera um avanço a sociedade delimitar “livremente” os avanços. Por que não “limitar” as representações típicas da mulher brasileira, a índia seminua prostituta namorada de pagodeiro, então?

Estranho defender as mulheres somente quando sua imagem é degradada, depois de tantos episódios ainda mais ridículos. Não seria a hora de efetivar políticas públicas que realmente garantam conquistas palpáveis, ao invés de se discutir o quanto pode (ou não) uma mulher parecer sexy em um comercial de cerveja. Afinal, para você, consumidora tão assídua de cerveja quanto os homens - mas sem a barriguinha característica - o que seria um comercial de cerveja politicamente correto para as mulheres?

Há quem duvide que seja possível.

5 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Bem isso Graci, mulheres semi nuas desfilam por ai, e pela TV principalmente, e nem por isso são retiradas do ar, eu acho que a questão de desvalorizar a mulher ou não, vai da própria mulher, que decide por um mini-shorts e mostrar a bunda, ou uma fantasia de carnaval que ela fique praticamente nua para o mundo inteiro ver! E infelizmente fora do Brasil, somos conhecidos como a terra do futebol e da bunda de fora.
    Os valores são de cada pessoa, eu particularmente, não achei a propaganda da Paris tão vulgar assim, já tiveram piores, muito piores. Eu freqüento botecos aos redor da faculdade, e TODOS sem exceção tem varios cartazes de mulheres semi nuas segurando garrafas das mais diversas marcas de cerveja.
    E enquanto o publico alvo das cervejas for o homem, as propagandas sempre serão com o apelo sexual. Porque depois de 10 cervejas a mais baranga vira uma top model! hahahaha Como diria a musica: "não existe mulher feia, foi vc que não bebeu de mais..."

    ResponderExcluir
  3. Não achei nada demais a propaganda, acho que está no nível das outras...
    Não sei se existiria um comercial de cerveja politicamente correto, mas talvez as garotas-propagandas pudessem usar mais roupa.
    Se mais homens estapassem a publicidade das cervejas, pode ser que eu não ligasse para as mulheres nuas. rsrsr

    ResponderExcluir
  4. O comercial está igual a qualquer outro. O problema é a figura da patricinha.
    Não sei, acho que homens bonitões ficariam bem nesta posição. Eles gostam de se sentir objetos.

    ResponderExcluir
  5. Não vi nada demais no comercial, também. E, realmente, ninguém vê homens vestidos de latinhas de cerveja nos bares. Mas acredito que, mais que a propaganda, o impacto tenha sido causado pelo nome da cerveja. Mas é só um nome...

    ResponderExcluir