segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Seja homem, homem.


O meu mau humor passou! Aê! Mulher tem dessas coisas, vocês sabem... o problema é que irritadinha e geniozinha me definem tão bem quanto animada e extrovertida. Por isso, hoje serei pacífica e elogiarei, dentro das minhas condições, claro, uma manifestação masculina. Segue:

Dá meio dia e é a hora do almoço. Chegando no restaurante que, religiosamente, nos serve o prato do dia (quarta-feira é meu dia preferido: bife à rolê), deparo-me com uma novidade. Ali no balcão do restaurante/bar cuja decoração remete aos ares cariocas numa época em que o samba era intelecto, encontro uma pilha de revistas.
Numa fonte impactante, de caixa alta e tamanho de destaque estava escrito "SEJA HOMEM!", e como entretítulo: "leia essa revista". (Eu acho que "esta revista" seria o correto, mas também não vem ao caso).
Pareço José de Alencar com seus tantos detalhes para descrever este pequeno fato, não?
A questão é a seguinte. Como a própria revista descreve no rodapé de sua capa, esta é a "MELHOR (e única) Revista masculina de CURITIBA". Num mercado atolado de Criativas, Tititis, Caprichos, Glosses e Claudias, os caras tiveram a puta sacada de criar uma publicação cromossomo XY. É a Marie Claire dos machos. Seja Homem! está na sua primeira edição datada em Janeiro de 2010. E sua distribuição é gratuita.
Ok, Playboy está aí né, minha gente? Mas a Seja Homem! está longe de se parecer com esta. Sabe aqueles pequenos números de páginas que servem de desculpa para a grande maiora, homens ou mulheres, usarem ao dizer que lêem a Playboy? É, aquelas páginas das entrevistas e piadas? "Ah, eu leio Playboy porque as piadas são boas e as entrevistas com pessoas bacanas". AHAM!
Pois então, a Seja Homem! tem, na sua dimensão, uma proporção maior de bons conteúdos. Não quero dizer que os ensaios sensuais ou eróticos, dependendo de como cada modelo define o seu trabalho, não têm lá seu valor. Acho de mau gosto, mas é só o que eu acho e respeito a beleza que cada um possa ver nesses ensaios.
Enfim, propagandas, na grande parte em conotação sexual, alguns pequenos ensaios femininos, matérias sobre boxe, carros e futebol, são o que compõem esta publicação. São os assuntos que nós, mulheres, não temos um pinguinho de interesse, mas que agradam nossos bofes. Devo concordar, até mesmo o fluxograma ou o GUIA CWB, com suas intenções machistas, são inteligentes (não por serem machistas, obviamente).

Explico estas duas partes da revista às quais dou destaque.

O Fluxograma desta primeira edição tem por objetivo determinar se você, homem, fará sexo hoje.
Nesta brincadeira, a intenção é deixar a mulher bêbada mas, apenas o suficiente para que ela continue em pé. Afinal, ela precisa funcionar, não?! Apesar disso, as frases e situações criadas definem bem os gênios femininos. Se a mulher escolheu um filme triste, você, meu caro, definitivamente dormirá sozinho. (hahaha!)

O GUIA CWB tem duas partes. A primeira se trata de
"táticas avançadas na guerra dos sexos". Por isso, existem 4 categorias com "fundos de guerra" que variam de R$50 a R$300. Cada categoria é dividida em 3 partes, o "preparar", "apontar" e "fogo!". Cada parte desta se refere a um lugar (totalizando três lugares ao final da noite) onde o homem pode levar a mulher gastando de acordo com o "fundo de guerra" de cada categoria. Obviamente, a maioria deles acaba em motel, serv car ou boutique sensual.
A segunda parte se trata da
"guerrilha urbana com seus camaradas". No mesmo esquema da primeira parte, mas para aproveitar com os amigos. Você, homem, pode escolher programas que vão de corridas de kart seguidas de churrascaria e strippers de luxo até futebol seguido de churrasquinho e poker.

Tenho lá minhas oposições a algumas frases desta revista, principalmente a um texto publicado no final. Não vou falar a respeito para cumprir minha promessa de não reclamar. A verdade é que achei a publicação muito interessante, bem estruturada e inteligente. Afinal, nossas publicações XX também têm suas futilidades e hipocrisias e um pouquinho disto tudo também não mata.
Aí me veio uma questão. O que vocês achariam de uma revista que se intitula masculina, publicar matérias sobre futebol mas também um "guia da balada gay", e ensaios femininos e masculinos? Aí cada um escolhe o que quer ler! Seria uma revista para todo o público masculino! O público-alvo seria mais abrangente, mas um bom estudo disso poderia resultar numa revista curiosa, não?! Ou, então, satisfazer os curiosos.
"Eu leio por causa dos ensaios femininos". AHAM!

Fica aqui a dica:
www.sejahomem.com.br
é necessário um cadastro para ler online, mas é rapidinho e vale a pena. Até mesmo para nós, mulheres.

8 comentários:

  1. Mayaraaaaaa
    Adorei ;)
    Hahaha, os assuntos deles pouco nos interessam e vice-versa. Mas, sabe, as revistas masculinas são muito mais próximas das femininas do que a gente imagina. Meu TCC de jornalismo (A construção da identidade masculina contemporânea nas revistas Vip e Playboy) foi sobre isso, peguei um ano de Vip e Playboy, sim, essas mesmo de mulher pelada, de mulheres com o corpo pefeitamente desenhados. E, supresa. Se vc virar as páginas pornos, vai encontrar muitaaaaa, mas muitaaaaaa futilidade masculina, desde como pentear os cabelos até como ganhar o coração da mina que ele tá super afim. Tinha dicas de cozinha tb, de moda, cremes. Cremes? Sim, eles usam. Por isso que acho que o homem tem ficado cada vez mais feminino (pelo menos foi isso que eu defendi no TCC), embora o machismo ainda reine. Estamos na era da equiparação (?) dos sexos...quem sabe?!!! Ahhh, mais uma coisa, a gente fez um TCC tb, o de impresso, era uma revista masculina: Y, era o nome. Ela era destina para todos os tipos de homens, tds mesmo. Público masculino com seus mais diferentes desejos...
    Será que consigo ganhar uma grana com o nosso protótipo?!! hahahaha

    ResponderExcluir
  2. Maju!
    adoreiiiii a revista!
    e a idéia muitooooo boa!
    E salve as diferenças entre o sexos!

    ResponderExcluir
  3. Maju! Adorei, também, a ideia dessa revista aí em Curitiba. E, como a Lari defendeu no tcc dela, os homens estão, sim, se tornando mais feminino e publicações como essa só vêm confirmar isso.
    Entretanto, eu acredito que uma revista pra homens hetero e homo teria poucas chances de bombar. Porque, quanto mais específico o público-alvo, melhor. Senão pode ficar meio com cara de salada, o que não significa, também, que não vá bombar. Mas pensa bem, escrever especificamente para um público que você conhece é muito melhor.
    Bjoo

    ResponderExcluir
  4. Engraçado Maju..a mais de um ano leio mensalmente uma revista masculina:a Men's Health.A Revista fala de como levar uma mulher ao delírio, como ficar bombado, como não ter mau hálito..etc..etc..mas as pág de relacionamentos me atraem, é uma tentativa(frustrada, eu sei) de me aproximar desse mundo tãotão distante.

    Adorei o texto

    ResponderExcluir
  5. Então, o engraçado é que na Seja Homem! eles, propositalmente, não colocam informações a respeito da beleza externa. Nas páginas ainda sem anúncio, mensagens como "barriga tanquinho em 15 dias? aqui você não encontrará nada sobre isso. Anuncie aqui" preenchem os espaços em branco.
    O que os caras colocam são coisas como "como fazer uma picanha bem macia" ou "processo jurídico bla bla bla".
    Por estas coisas que gostei da publicação. As futilidades existem, mas não são parecidas com as futilidades femininas. Estão de acordo com o público. (se tratando ainda de machões curitibanos! hahaha)

    Obrigada, chicas. ;*

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  7. Ah, já que o assunto é revista masculina de qualidade, não pode ficar de fora a "Mens Health" da Editora Abril, que a minha prima Wal atentamente lembrou.
    Valeu prima!!!

    ResponderExcluir